Destaques

Rota das Bandeiras conclui recuperação do pavimento na D. Pedro I (SP-065)

A Concessionária Rota das Bandeiras concluiu a recuperação profunda do pavimento da rodovia D. Pedro I (SP-065), no trecho entre Campinas e Valinhos. Após um intenso período de obras, os motoristas que trafegam entre os km 113 e 145 contam agora com uma rodovia ‘reconstruída’, com todas as faixas uniformes.

Esta foi a segunda vez, desde o início da Concessão, em 2009, que o trecho recebeu obras profundas. As escavações garantiram a reconstrução de diferentes camadas do pavimento, além de melhoria no sistema de drenagem. A última camada do pavimento, aplicada no último fim de semana, também amplia a segurança dos usuários, diminuindo o ruído e aumentando a aderência dos veículos.

“O trecho urbano de Campinas foi o ponto mais crítico para realizarmos as obras, devido ao grande fluxo de veículos. Mas concluímos com êxito a recuperação, após intervenções nas madrugadas e também aos fins de semana. Era inevitável que, em alguns momentos, causássemos transtornos aos motoristas, mas tivemos uma resposta positiva da maior parte dos usuários, que compreenderam a necessidade de melhoria na rodovia”, explica o engenheiro responsável pela recuperação do pavimento no Corredor Dom Pedro, Silvio Godoy.

Anteriormente, a Concessionária já havia recuperado o pavimento da rodovia a partir do km 65, em Bom Jesus dos Perdões. Agora, as equipes passam a atuar entre o km 0 e 65 da D. Pedro I (SP-065). Na rodovia Prof. Zeferino Vaz (SP-332), a melhoria é feita a partir do km 135, em Cosmópolis, até o km 168, já que o trecho entre Campinas e Paulínia também já foi recuperado. Por fim, a Rota das Bandeiras também faz a recuperação em um trecho de 10 km da rodovia Eng. Constâncio Cintra (SP-360), a Itatiba-Jundiaí. As obras nestes trechos serão concluídas no segundo semestre deste ano.

As obras fazem parte do segundo ciclo de recuperação profunda do pavimento da rodovia D. Pedro I, de acordo com o contrato de concessão firmado entre a Rota das Bandeiras e a Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp). Somente neste ano, serão investidos R$ 120 milhões neste tipo de intervenção.

Topo
  • compartilhe:
  • Compartilhar